Ei! Vez! Sente aqui!

Por Camila M. Polonio
Sentei para escrever mais uma vez. Aqui escrevo o que quiser. Diante dessa folha de papel, escrevo o que quiser. Mil vezes, escrevo mil vezes exatamente o que eu quiser. E se quiser escrever mil vezes, Vez? Escreverei mil vezes.  Vez, vez, vez, vez, vez, vez, vez. Vejam, quantas vezes posso escrever vez? Mil vezes Vez.
Se eu quiser pensar? Posso pensar o que quiser. Posso pensar tudo o que eu quiser. Em todos os lugares, em cada momento, meu pensamento pode fazer o que quiser. Pensarei mil vezes o que quiser. E se eu quiser pensar mil vezes em você Vez? Vez, vez, vez, vez. Vejam, quantas vezes posso pensar vez? Mil vezes Vez.
E se eu quiser falar? Posso falar o que quiser, posso falar exatamente o que eu quiser. Aos quatro cantos digo mil vezes o que quiser. Falarei mil vezes Vez. Vez, vez vez vez. Vejam, quantas vezes posso dizer vez? Mil vezes Vez.
Quantas vezes tive raiva de você? Não quis mais te ver nenhuma vez. Nem por um momento desejei que você voltasse a me atormentar Vez. Quanto você pode ser cruel, dolorida? Quantas vezes, mesmo não querendo, tive que te aturar mais uma vez? Às vezes você consegue ser insuportável e me fazer ter que te aguentar mais uma vez. Quantas vezes você me fez sofrer e ter que te olhar nos olhos por mais uma vez? Quantas vezes vou ter que te encontrar no seu pior papel Vez? Ai! Como dói ter que te ter mais uma vez nesse momento que só queria, com toda minha dor, com toda minha força, te fazer ficar o mais longe possível, mil vezes longe. Mas você volta né Vez? Volta! E quando finalmente te aceito, acabou minha vez. Você se foi, deixou marcas poderosas, marcas tão profundas que lembrarei de você muitas vezes. Não como daquela última vez, mas lembrarei mais uma vez.
Outras vezes chorei porque só queria te ter mais uma vez e de repente, você escorreu entre meus dedos e já era. Não haverá outra vez, a vez acabou, passou, se foi. Você morreu Vez? Não voltará? Que vez é essa que está por vir e me trazer outra vez algo que nem sequer sei que desejarei por outras tantas vezes? Muitas vezes te perco e fico sem chão, fico sem vez. Sei que precisa ir, sei que cumpriu sua função, mas que mal tem em desejar mais uma vez? Sonhar mais uma vez? Sofrer mais uma vez? Tocar mais uma vez? Abraçar mais uma vez? Sentir o cheiro, ouvir a voz mais uma vez? Querendo ou não Vez, você estará comigo, sempre perto de mim para  lembrar que não haverá mais nenhuma vez e que muitas vezes virão.
E lá no fundo de tudo que penso, escrevo e falo. Lá naquele lugar onde sou puramente eu, o que mais quero que grite em mim é poder te ter Vez. Que mil vezes faça parte de mim, que mil vezes ou que somente mais uma vez esteja aqui comigo. Me acompanhe mais uma vez. Você pode e é minha melhor companhia. Estou com você mais uma vez. Esteja comigo mais uma vez. Fique comigo mais uma vez. Me permita ser mais uma vez. Quero errar mais uma vez, acertar mais uma vez. Ei! Vez!. Estou aqui. Fique por mais um tempo
Disponível também no blog http://www.vasoliterario.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s